« Voltar
em kubernetes node.js
Processando 2.5 milhões de stories com Node.js e Kubernetes

Processando 2.5 milhões de stories com Node.js e Kubernetes.

Era um dia de calor forte em São Paulo quando desci no Largo da Batata, em Pinheiros.

Acostumado a ir pra lá de fim de semana pra aproveitar os bares e restaurantes, era o primeiro dia que visitava o Largo a trabalho.

E assim que saio do metrô, tenho aquela vista bem Faria Limer.

Fui pra lá pra conhecer a Squid, uma empresa que se especializou em conectar criadores de conteúdo à marcas.

Não sabe muito bem o que isso quer dizer?
Vamos lá: imagine que a empresa que faz o Dicionário Aurélio quer promover a versão online deles, mas ao invés de anunciar em revistas, tv, etc ela quer fazer isso com influenciadores.

Ela chega na Squid, explica o que quer promover, e então a Squid vai atrás de pessoas que tem uma influência online e um público que se interessaria pelo produto promovido.

E essa campanha realmente aconteceu e a Squid me escolheu pra participar dessa campanha e fiz esse post e mais alguns sobre o Aurélio.

Como eles chegaram até mim?
Eu me cadastrei como influenciador na plataforma deles e lá coloquei meu perfil, quem é meu público, etc.

Quando a empresa entra na plataforma, ela escolhe que perfil de influenciador quer pra campanha e aí a Squid faz o match, sacou?

Quando chego no escritório, sou recebido pelo Felipe Lima, CTO e um dos sócios da Squid. Conheci ele no ABC Dev em 2019 e pensa num cara gente fina!

Ele de cara me conta que a empresa tá crescendo muito, o espaço começou a ficar pequeno e eles tiveram que otimizar o máximo possível.

Pegamos um café, sentamos em uma salinha de reunião e começamos a conversar.

O Felipe gosta de empreender e não é de hoje: antes de ser sócio da Squid, ele chegou a ter uma fábrica de software. A fábrica acabou não dando muito certo e sobreviveu apenas por um ano, mas foi um aprendizado incrível pra ele.

Quando a Squid estava começando, o Felipe começou a fazer alguns trabalhos como desenvolvedor freelancer pra empresa. E ele mandou tão bem que os caras chamaram ele pra ser sócio e tocar a parte de tecnologia.

Lá no início, a ideia da empresa era criar um app para as empresas fazerem ações com o público em geral: pessoas comuns compartilhando e criando conteúdo das marcas e ganhando pontos com isso pra trocar por produtos ou experiências.

Mas eles perceberam que a melhor estratégia não era essa.

Influenciadores como criadores de conteúdo

Como você faz usuários gerarem conteúdo da sua marca pra você usar como marketing?

Foi aí que eles perceberam o pulo do gato: trabalhar com influenciadores era a chave do sucesso. Comunicar marcas com pessoas que conversam com públicos específicos.

Mas como fazer essa ponte?

Usando tecnologia, é claro

Fazer o trabalho de agência tradicional e tratar caso a caso de influenciador tem seu lado positivo, mas está longe de ser a maneira mais prática.

A Squid tem mais de 80 colaboradores e 15 só no time de tecnologia.
Mensalmente, eles rodam mais de 500 campanhas com uma média de 1500 influenciadores participando nelas: são processados mais de 2.5 milhões de stories por mês.

E isso é feito com muita tecnologia.

Os caras criaram uma plataforma muito boa (eu já usei e aprovo de verdade) e que suporta e facilita tanto o trabalho do time interno quanto das empresas e influenciadores e que faz todo esse processamento.

A stack

Node.js foi a escolha pra plataforma principal dos sistemas desenvolvidos dentro da empresa. As duas principais razões pra essa escolha foi a facilidade de deploy e monitoramento que conseguem ter com a tecnologia.

Há pouco mais de 3 anos atrás eles tinham o monolito que foi quebrado e hoje é composto de mais de 40 serviços diferentes orquestrados com Kubernetes.

Na parte de banco de dados, as escolhas foram MySQL e MongoDB.
Para o front, temos React e Angular 8.
Eles também usam Redis e Elasticsearch em alguns casos e a infra é 100% no Google Cloud.

Muitas vagas em aberto

Você não precisa necessariamente manjar muito de Node.js pra trabalhar por lá: basta manjar razoavelmente bem de programação e lógica que a síntaxe você vai pegar no dia-a-dia.

A contratação é CLT e tem os benefícios normais: VR, VT, plano de saúde.

Mas tem algumas coisinhas a mais que são legais: Gympass, Spotify e Netflix pra todo mundo. Mas tem mais: bônus financeiros para os times a cada 3 meses, de acordo com as metas.

A ideia da Squid é dar foco nas pessoas, amplificar novas e diferentes vozes e descentralizar a indústria da comunicação.

Candidate-se!

Você pode conferir as vagas em aberto lá na Squid aqui e mandar seu currículo para talentos@squidit.com.br.

comments powered by Disqus