« Voltar
em carreira

Mudando o rumo da minha carreira fazendo o que ninguém estava fazendo.

Eu sempre fui dessas pessoas ansiosas, sabe?
Sempre quis aprender um monte de coisas ao mesmo tempo, fazer uma pancada de coisas de uma vez. Mas tem algumas coisas que não ajudam também: trabalho o dia inteiro na frente do computador e, consequentemente, na internet.

E bom...eu gosto de ler noticias, artigos e gosto de redes sociais também. Então todo dia tem alguém falando da tecnologia X, do framework Y, da metodologia Z e blablabla.

E quem quer ficar pra trás?
Queremos ser bons, queremos saber mais, queremos estar em dia com as novidades.

Passei muito tempo da minha vida querendo fazer um milhão de coisas mas nunca focando em nada de verdade, sabe?
Por trabalhar com ASP.NET e C# durante anos, acabei ficando bem bom nisso mas mais por trabalhar com as tecnologias todos os dias, e não porque eu me preocupava em estudar elas.

E aí eu vim trabalhar na Caelum. E na Caelum eu tenho todas as possibilidades do mundo: posso dar aula do que eu quiser, estudar o que eu quiser e eu tenho à minha disposição qualquer curso do Alura, Casa do Código e fora o acesso a todos os profissionais fodas que trabalham aqui.

Eu cresci muito tecnicamente nesse ambiente, mas imagine como é um lugar desses para alguém ansioso e que quer aprender tudo ao mesmo tempo.

Faltava um foco, algo específico para eu me dedicar.

A decisão que mudou tudo

Uma das milhares de coisas que eu já quis na vida foi ter um blog. Então, em um dia aleatório no meio do ano passado(sem planejar nem nada) eu falei pra mim mesmo: vou fazer essa bosta.

E fiz esse blog aqui.

Escrevi um post em uma semana, outro na outra e compartilhei em grupos de Facebook e Twitter. E surpresa: as pessoas começaram a ler e dar feedback positivo.
E muito mais feedback positivo do que eu imaginava. Já rolou mais de 6 mil usuários únicos em um dia no meu blog.
Eu não esperava por isso.

Fui me empolgando e escrevendo mais, até que eu cheguei ao ponto de escrever um post por dia, todos os dias(menos domingo)
Me empolguei tanto que até falei que ia escrever todos os dias pra sempre.

Sempre que eu escrevo um post, compartilho nas redes sociais, principalmente grupos no Facebook. Consequentemente, comecei a usar o Facebook mais para fins profissionais do que pessoais e a aprender a usar melhor a plataforma.

E aí eu percebi uma coisa: a Caelum estava presente nas redes sociais, mas não estávamos utilizando elas com muita frequência. Não havia ninguém específico cuidando disso.

Como havíamos acabado de lançar o blog do Alura, pedi ao meu chefe acesso ao Facebook e Twitter do Alura e ele me deu. Comecei então a sempre compartilhar os posts do blog nas redes sociais.
Percebi que apenas compartilhar não era suficiente, precisava ter uma imagem legal. Corri atrás e aprendi o básico de Photoshop.

Olha só: eu não fiz nada surreal, apenas percebi uma coisa que ninguém estava fazendo(e nem era tão difícil assim), fui lá e fiz.

E bem, as coisas começaram a dar um resultado inesperado: pelo menos 20 pessoas que assinaram o Alura em Janeiro desse ano vieram do Facebook. No mesmo período do ano passado, esse numero era zero.

O plot twist

Comecei a realmente me empolgar com o trabalho, estava gostando do que estava fazendo. Percebi que era o tipo de trabalho que eu não me importava em fazer no meu tempo livre. E fui fazendo.

E aí, o que aconteceu foi: não foi só eu que percebi que o que eu estava fazendo estava dando resultados. Meus chefes perceberam também. E, aos poucos, foram me dando mais responsabilidades e liberdades.
E eu fui pegando essas responsabilidades e me acostumando com elas. Aos poucos. Fazendo um pouco todos os dias.

Quando fui perceber, estava cuidando das redes sociais das 3 empresas daqui: Caelum, Casa do Código e Alura. Comecei a fazer campanhas e promoções, a trabalhar diretamente com a equipe de design para fazer imagens para campanhas, lançamentos e postagens, a interagir com a comunidade e analisar resultados, fiz 5 cursos no Coursera sobre marketing e medias sociais. Bastante coisa, vendo agora.

Um dia meu chefe me chamou na sala dele e disse: agora você tem uma verba para gastar mensalmente com as redes sociais.
Algumas horas depois foi que a ficha caiu: eu sou responsável por uma área da empresa. Eu tenho liberdade para gerar conteúdo e promovê-lo da maneira que eu achar melhor.

O quão legal é isso?

Ainda essa semana, me vi falando com o meu chefe sobre fazer um curso de redes sociais na ESPM e sobre contratar uma pessoa para trabalhar diretamente comigo.
Tipo...contratar alguém para trabalhar comigo fazendo fazendo esse trabalho que só eu faço aqui. Tipo, alguém da minha equipe. Que equipe? Não temos uma equipe disso.
Mas parece que aos poucos estou formando uma :)
Isso é muito surreal pra mim.

Abrace as oportunidades

Bem, minha mensagem com esse post é exatamente essa. Olhando para trás agora, eu vi várias oportunidades que apareceram para mim dessa forma de coisaqueninguémquerfazer e eu não abracei.

Aquele projeto com cliente chato, aquele sistema que ninguém quer dar manutenção, aquelas tarefas que ninguém quer fazer...pegue pra você e faça. Mas faça direito. Faça melhor. Automatize, faça ficar melhor do que já é, faça a diferença.
Você nunca vai saber que portas essa atitude pode te abrir se não tentar :)

A vida é uma maratona, não uma corrida de 100m

Vá devagar, faça um pouco todos os dias.

Não adianta você querer fazer um monte de coisas ao mesmo tempo e querer fazer tudo de uma vez. Antes eu pegava um livro técnico de 300 páginas e falavam pra mim mesmo que tinha que ler ele em uma semana.

Aprendi que ir aos poucos, fazer uma coisa de cada vez mas manter a constância é muito importante.
Eu achava do nada do dia pra noite eu ia me encontrar em algo e trabalhar muito nisso e ficar foda nisso e etc e aquela loucura.

Calma. Não.
É um esforço diário. Todos os dias você tem que fazer um pouco. E cada pouquinho que você faz te faz ficar melhor e crescer :)

Mas e a dúvida?

Sempre fui programador. E, perto dos meus 30 anos, estou tomando um rumo um pouco diferente na minha carreira. Isso me deixa um pouco apreensivo.

Tipo, é isso mesmo que eu quero? Será que o mercado para programação não é melhor? Será que estou comentendo um erro?

Mas ai eu percebo que não importa.

O que será do meu futuro?

Estou focado em ficar realmente bom nessa parte de marketing/redes sociais/conteúdo. Tenho muito o que aprender e quero aprender de verdade. Tenho muitos planos e muitas ideias de conteúdo legal para as redes sociais. Fazendo um pouco por dia, consigo fazer tudo :)

Como não trabalho em nenhum projeto em que programo constantemente, pelo menos por enquanto eu decidi não aprender nenhuma linguagem/tecnologia nova. Ao invés disso, escolhi ficar realmente bom no que eu já sei mais: C# e ASP.NET.

Aqui na Caelum as aulas que eu mais dou são sobre isso. Sempre acompanho as novidades do C# e do .NET Core, a cena open source, compartilhando e postando noticias, respondendo dúvidas no Alura sobre e estudando a plataforma mais a fundo.

Minha intenção é em breve começar a participar ativamente de algum projeto open source de C#. Se possível talvez do próprio .NET ou mesmo do Xamarin(que agora também é OSS). Ou seja, programar apenas em coisas legais de verdade e que eu queira fazer :D

comments powered by Disqus