« Voltar
em geolocalização

Como a geolocalização mudou a forma que vivemos.

Eu não sei você, mas eu não consigo imaginar a minha vida sem o Waze. É sério: eu faço todos os dias o mesmo trajeto para o trabalho, e todos os dias eu uso o Waze no caminho.

Talvez você se pergunte por que raios eu faço isso, e é bem simples: ele me informa sobre trânsito, buracos na pista, acidentes, caminhos alternativos, tempo no trânsito, etc e com uma precisão bem interessante.

Antes do Waze, como eu chegava nos lugares que eu não conhecia?

Geolocalização é mais importante do que você imagina

Ah, mas é só mostrar uns mapa aí e marcar uns pininho e já era!

Quando a gente pensa sobre algo superficialmente, às vezes vem esse tipo de pensamento na cabeça, né?

Mas o buraco é bem mais em baixo.

Depois de ouvir o Hipsters.Tech dessa semana, eu parei pra pensar um pouco nessas coisas.

Além do Waze, incontáveis outros apps usam e abusam do recurso de geolocalização pra revolucionar um segmento. Eu só peço comida pelo iFood.

Imagina ter que ligar pra pedir comida? Me sinto nos Flintsones.

E os apps de táxi e carona? De mapas? De logística e transportes? Os messengers que permitem compartilhamento de localização?

Fora outras coisas que a gente nem imagina e que o pessoal comentou no podcast, como por exemplo: uma marca fodona de restaurantes quer abrir um restaurante no melhor lugar possível de São Paulo, o que eles fazem?
Pedem uma consultoria para a Maplink pra encontrar este lugar pra eles, cruzando dados de localização dos concorrentes e cruzando com informações de trânsito e outras variáveis malucas.

Não é sensacional?

E pensar que um dia já nos guiamos apenas pela posição dos astros 🌌

comments powered by Disqus