« Voltar
3 pessoas que mudaram de área e se tornaram devs

3 pessoas que mudaram de área e se tornaram devs.

Uma pergunta que eu já ouvi (e ainda ouço muito) é: Gabs, eu sou muito velho(a) pra começar a estudar programação e mudar de área?

Eu já ouvi isso de pessoas de 30, 40, 50 e até de 25 anos.

E minha resposta sempre é: não, não é.

Claro que, mudando de área pode ser que você tenha que passar por algumas coisas como ter que diminuir o salário e descer de posição em níveis de hierarquia no trabalho. Esses desafios vão variar muito de pessoa pra pessoa e decidir se você vai ou não fazer essa transição depende se você tem disposição e condições de passar por ela.

Mas é mais do que possível fazer essa mudança.

E, pra provar, vou colocar aqui a história de 4 pessoas de backgrounds diferentes e que fizeram esse movimento de carreira.

Jeniffer Bittencourt

A Jeniffer se formou em gestão de RH e trabalhou anos com isso.

No trabalho, ela tinha que lidar com devs no dia a dia e sempre se interessou pelo que faziam. Ela tentava entender como esse trabalho era feito e sempre fazia muitas perguntas.

Depois de 7 anos de carreira, sentiu que gostava muito de tecnologia e foi estudar programação. Participou das imersões da Alura, se apaixonou por front-end e hoje é dev.

Escute a história completa da Jeniffer:

Flavio Clésio

Quando precisei fazer meu alistamento obrigatório no Exército eu torci pra ser dispensado.
Mas o Flávio é o contrário de mim: ele sonhava em ser militar e foi dispensado. Mas insistiu várias vezes até conseguir entrar.

Depois de alguns anos de carreira militar ele percebeu que curtia tecnologia e descobriu a programação. Começou fazendo uma faculdade mas não curtiu programação e foi para a parte de dados.

Se apaixonou por banco de dados e BI, trabalhou por um tempo no Grupo Movile e quando saiu de lá, apareceu uma oportunidade pra ir pra Berlim. Ele já mora lá há 3 anos e hoje é engenheiro de machine learning.

Escute a história completa do Flávio:

Felipe Lemes

O Felipe, tecnicamente ainda não é dev. Ainda.

Ele é engenheiro ambiental, começou a estudar programação e percebeu que poderia automatizar uma tarefa de seu trabalho usando Python. Ele foi lá, colocou a mão na massa e fez com que uma tarefa repetitiva se tornasse 90% mais rápida.

Ele gosta de programar e estuda muito: tá fazendo faculdade na área e vários cursos por fora. Ele pode não ser dev ainda, mas você tem alguma dúvida que ele não vai conseguir?

Escute a história completa do Felipe:


Tem uma história legal de transição de carreira? Conta aí nos comentários :)

comments powered by Disqus